A Ilha do Faial é a terceira ilha mais habitada do arquipélago dos Açores, ocupando uma área de cerca de 170 km2. Integra o Grupo Central, juntamente com a ilha de São Jorge e a ilha do Pico e foi colonizada em 1432. O seu nome deriva da afluência de faias na região, apesar de ser ainda mais marcada pelos inúmeros tons de azul refletidos pelo mar e as intensas cores das flores que se espalham nos jardins. Por esta razão, para além do nome Faial, é conhecida também pela Ilha Azul.

Tal como as restantes ilhas nos Açores, Faial é característica pelos espaços verdes e a abundância praias incríveis e paradisíacas. Sugerimos que visite a Caldeira, conhecida pela sua imensidão e pelo revestimento de flores, plantas e árvores. As suas paredes vulcânicas, com sete quilómetros de perímetro, estão cobertas por louros, faias, musgos, entre outras espécies endémicas. Por baixo do miradouro da Caldeira existe ainda uma lagoa intermitente e um pequeno cone vulcânico: este local garante uma vista incrível e imperdível!

PERTO DO CÉU, SEM TIRAR OS PÉS DO CHÃO

Na zona central da ilha poderá conhecer o Cabeço Gordo, com cerca de 1000 metros de altitude, sendo o ponto mais alto da ilha. É um miradouro natural com uma paisagem única: em dias de bom tempo poderá vislumbrar todas as ilhas do triângulo e até a ilha Graciosa. A partir deste miradouro o terreno parece descer delicadamente até ao mar, onde um conjunto abundante de hortênsias traz para a terra os tons do mar e materializa a constante união entre o azul denso e o verde da vegetação.

Depois da passagem pelo Cabeço Gordo continue o seu passeio junto às ruínas do Farol da Ponta da Ribeirinha, destruído pelo sismo de 1998, mas de onde conseguirá avistar o recorte do dorso vulcânico de São Jorge. No miradouro da Ponta da Espalamaca e em frente a toda a baía da Horta ergue-se a majestosa a Montanha do Pico: duas dicas fundamentais para que as suas férias pela ilha sejam aproveitadas ao máximo.

É no extremo ocidental da ilha do Faial que é possível visitar o Vulcão dos Capelinhos, um elemento de grande porte, impossível de não captar a sua atenção! É neste sítio que se testemunha em primeira mão o impacto das erupções vulcânicas ocorridas há muito tempo atrás. Apesar das cinzas continuarem bem presentes e moldarem a atmosfera do vulcão, o tempo trouxe consigo também o verde vivo da vegetação em seu redor, que a pouco e pouco invadiu o espaço contrastando as duas realidades: início e fim. As rochas escuras cravadas na terra evidenciam igualmente este fenómeno natural.

PRAIAS, CULTURA E AVENTURA

Destes fatores originados pelas erupções vulcânicas, desenvolvem-se também as praias de areia preta e solo quente. De todas as nomeadas Ilhas do Triângulo, a Ilha do Faial é a que oferece mais variedade de praias vulcânicas: aconselhamos que visite a Praia do Norte ou a Praia Porto Fim, com as suas águas mornas e paisagem memorável. Aproveite depois para explorar a pé as arribas Ribeira Funda ou o Morro de Castelo Branco, localizadas no lado poente da ilha.

Para os amantes de história, parte da cultura de Faial pode ser explorada no Museu da Horta, com documentos e fotografias que relatam acontecimentos marcantes para a ilha. Este museu encontra-se no antigo Colégio dos Jesuítas e disponibiliza material muito interessante. A cidade da Horta tem uma grande representação em termos populacionais na Ilha do Faial, sendo relevante também por ser o centro de observação de cetáceos.

Poderá desfrutar de atividades como mergulho, nadar com os golfinhos ou passear de barco pelos canais e grutas. Se gosta de experimentar desportos aquáticos não pode perder a oportunidade de se aventurar no windsurf, remo ou vela. A pesca desportiva tem uma grande tradição, sendo usual a captura de exemplares recordistas de tubarões e espadins nas incursões em alto mar.

GASTRONOMIA

Se é daquelas pessoas que gosta de explorar a gastronomia dos sítios que visita, o Faial desilude! Como a maioria dos locais que se espalham pelas costas, esta ilha é muito influenciada pelo mar nos seus pratos típicos: a caldeirada de peixe ou o polvo guisado com vinho são apenas duas dicas a ter em conta. Se é adepto de carne e petiscos, as morcelas e linguiças são as sugestões ideais para entrada. Avance para o refogado de carne de vaca, aromatizado por especiarias como cominhos, canela e pimenta, ideal para os dias mais frios em que o corpo pede uma refeição mais pesada e aconchegante.

Para terminar da melhor forma a sua viagem (e refeição), não deixe de experimentar as Fofas do Faial! Uns bolinhos com base de massa feita no forno complementada por sementes de funcho e recheada com gema de ovo, açúcar e raspas de limão. Uma delícia a não perder!

 

Agora que está convencido, aproveite para reservar as suas férias pelos Açores com toda a segurança na Rickytravel!

 

 

Fontes: visitazores.com; visitportugal.com